quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Posts de finais de ano

Dicas quentes:

Tradução com auto-detecção: Tradukka
Sanduíches de alta qualidade: GrandVille

Vou acrescentar mais a medida do tempo. Por este motivo este post fica marcado como DICAS

domingo, 27 de dezembro de 2009

Eleições 2010 - Quem vai ser presidente?

Vamos fazer a mesma futurologia para eleição de presidente.

Primeiro, consideramos a pesquisa espontânea como a fonte para determinar o núcleo hard de cada candidato:

Lula - 20%
Serra - 8%
Dilma - 8%
Aécio - 3%
Ciro - 3%
Marina - 1%

Universo que não sabe: 47%

Primeiro, vamos considerar que Lula não está concorrendo. Foi feita uma pergunta adicional na pesquisa Datafolha considerando a exclusão de Lula. Dos 20%, 11.4% não sabem em quem votar, cerca de  10% vota em Dilma e 8% em Serra. Com isto podemos adicionar 2% para Dilma e 1.6% para Serra.

Serra - 9.6%
Dilma - 10%
Aécio - 3%
Ciro - 3%
Marina - 1%

Universo que não sabe: 68%

Agora vamos ver a rejeição dos candidatos (desprezando o fator que não votaria em nenhum e os que votariam em qualquer um):

Serra - 19%
Dilma - 21%
Aécio - 17%
Ciro - 18%
Marina - 17%

Isto significa que o Universo possível de crescimento é:

Serra - 81%
Dilma - 79%
Aécio - 83%
Ciro - 82%
Marina - 83%

Portanto, o espaço de crescimento para estes candidatos é:

Serra - 55%
Dilma - 54%
Aécio - 57%
Ciro - 56%
Marina - 57%

Logo, seguindo as probabilidades descritas no caso anterior temos:

Probabilidade de ganho no primeiro turno:

Serra - 26.4%
Dilma - 25.7%
Aécio - 17.4%
Ciro - 15.9%
Marina - 13.9%

Vemos que as chances de Serra e Dilma estão praticamente empatadas para o ganho em um primeiro turno. E são chances pequenas (cerca de 1 em 4) de ganharem no primeiro turno.

Previsão? Serra e Dilma no segundo turno.

Roriz 2010 - Parte 7

Vamos supor que a probabilidade de se conseguir a fatia desejada caia com o tamanho da fatia.

Assim, no caso de Roriz teríamos

P(0)=1
P(49.8)=0

Para simplificar vamos considerar um decaimento linear. Então neste caso

P(X)=1-X/49.8

Roriz precisa de metade de 49.8 para ganhar, então suas chances seriam de 1-12=1/2, ou seja 50%.

Já Agnelo precisa de 4/5 de 60.5%, o que torna sua chances como 1-4/5 = 1/5, ou seja 20%

Já Gim Argello precisa de 9/10 de 58.1%, ou seja 10%

Então com estas aproximações teríamos as seguintes chances:

Roriz: 50% (para ser mais exato, algo como 45.6%)
Agnelo: 20% (para ser mais exato, algo como 20.5%)
Gim Argello: 10% (para ser mais exato, algo como  15.41%)

Caso a curva seja mais acentuada (ao invés de linear, quadrática por exemplo), então as chances mudam. A de Roriz caí para 21% neste caso. Caso seja raiz então a de Roriz sobre para 67.5%, e a de Agnelo sobe para 43%.

Neste caso, como os conjuntos possuem intersecção (os 49.8 de Roriz, 60.5 de Agnelo e 58.1 de Gim Argello estão contidos nos 63% de eleitores), então as probabilidades não precisam somar 1, pois estamos calculando apenas as probabilidades que os referidos candidatos tem de conseguir um determinado percentual dos votos dos conjuntos em questão.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Roriz 2010 - Parte 6

Talvez seja melhor explicar em detalhes a questão da eleição.

Uma pesquisa é uma amostra de como uma comunidade maior se posiciona.

Não é uma lei escrita em pedra, mas o retrato de um momento.

Entretanto, a não ser que hajam mudanças significativas o que uma pesquisa fala pode perfeitamente indicar o eventual resultado de uma consulta mais ampla a comunidade.

Um exemplo: quando alguém tem 70% da preferência do eleitorado, temos aí incluídos eleitores "hardcore" (que não mudam de jeito nenhum), eleitores "softcore" (que estão congregados naquele nome por não ter um outro mais representativos).

Os eleitores "softcore" são os que podem ser cooptados para outro candidato. Mas isso depende de como estes percebem este candidato.

Se tivermos 50% de eleitores "hardcore" e 20% de "softcore", então o retrato que a pesquisa indica tem chances muito fortes de se concretizar.

Se tivermos 20% de "hardcore" e 50% de "softcore", há uma boa chance que a coisa mude de figura com a apresentação de um candidato mais alinhado com os interesses da comunidade.

E no caso de Brasília? Bem, eu não tenho os dados de quantas pessoas votam somente em Roriz e quantas pessoas votam em Roriz, mas poderiam votar em outro. Mas há alguns sinais que permitem enxergar algumas sombras:

Em uma pesquisa espontânea, os eleitores "hardcore" tendem a se destacar. Então temos alguns números que estimam o tamanho da base "hardcore":

Roriz: 23 %
Arruda: 5%
Angnelo: 2%
Paulo Octávio: 1%
Gim Argello: 1%

Isto dá um total de: 32%
E o Universo do que não sabe - os eleitores "softcore" é de 55%.

Neste universo podemos renormalizar os percentuais para:

Roriz: 26 %
Arruda: 6%
Agnelo: 2%
Paulo Octávio: 1%
Gim Argello: 1%

E o restante "softcore" corresponde a 63%. Não vamos tirar Arruda, pois não sabemos como o seu percentual iria ser distribuído

Quanto Roriz precisa para ganhar a eleição? Pouco menos de 25% de eleitores "softcore"
Quanto Agnelo precisa para ganhar a eleição? Pouco menos do que 49% de eleitores "softcore"


Ok, e aonde entra o índice de rejeição? Ele representa a parcela de 63% que não votaria no candidato em hipótese alguma. Então dos 63%:


49.8% poderiam votar em Roriz
60.5% poderiam votar em Agnelo
45.2% poderiam votar em Paulo Octávio
58.1% poderiam votar em Gim Argello

Este é o espaço de crescimento dos candidatos.Destes 49.8%, Roriz precisa da metade para ser eleito. Destes 60.5%, Agnelo precisa de 4/5 para ser eleito. No caso de Paulo Octávio, não há chances reais de eleição e no Caso de Gim, ele precisa de mais de 9/10 para ser eleito.

Então as chances de Roriz são muito boas se comparadas a do restante dos candidatos.

Depois eu estudo a questão das probabilidades.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Em outras palavras

  • Em outras palavras, este blog deseja a todos os seus leitores um Feliz Natal e um feliz ano novo!
  • In other words, this blog wishes to all its readers a merry christmas and a happy new year!
  • En d'autres termes, ce blog tient à tous ses lecteurs un Joyeux Noël et une heureuse nouvelle année!
  • Mit anderen Worten, will dieses Blog zu allen Lesern ein frohes Weihnachtsfest und einen guten Rutsch ins neue Jahr!
  • In altre parole, questo blog vuole a tutti i suoi lettori un Buon Natale ed un felice anno nuovo!
  • En otras palabras, este blog desea a todos sus lectores una Feliz Navidad y un feliz año nuevo!
  • Met ander woorde, hierdie blog wil al sy lesers 'n geseënde Kersfees en' n gelukkige nuwe jaar!
  • Me fjalë të tjera, këtë blog uron të gjithë lexuesve të saj një Krishtlindjeve qejf dhe një happy new year!
  • وبعبارة أخرى ، هذا بلوق التمنيات لجميع قرائها عيد ميلاد مجيد وسنة جديدة سعيدة!
  • Іншымі словамі, гэты блог пажаданні ўсім чытачам шчаслівага Калядаў і шчаслівага Новага Года!
  • С други думи, този блог пожелава на всички свои читатели Весела Коледа и щастлива нова година!
  • En altres paraules, aquest bloc desitja a tots els seus lectors un Bon Nadal i un feliç any nou!
  • 换句话说,这个博客希望所有的读者圣诞快乐,新年快乐!
  • Drugim riječima, ovaj blog želi svim svojim čitateljima Čestit Božić i sretna nova godina!
  • Jinými slovy, tento blog přeje všem svým čtenářům veselé Vánoce a šťastný nový rok!
  • Med andre ord ønsker denne blog til alle sine læsere en glædelig jul og et godt nytår!
  • Met andere woorden, deze blog wenst al haar lezers een fijne kerstdagen en een gelukkig nieuw jaar!
  • Teisisõnu, see blogi soovib kõigile lugejatele häid jõule ja head uut aastat!
  • Sa ibang salita, ang blog na ito pagbati sa lahat ng mga mambabasa ng isang kislap sa christmas at isang masayang bagong taon!
  • Toisin sanoen tämä blogi haluaa kaikille lukijoille hyvää joulua ja onnellista uutta vuotta!
  • Noutras palabras, este blog quere a todos os seus lectores un Feliz Nadal e un feliz ano novo!
  • Με άλλα λόγια, αυτό το ιστολόγιο επιθυμεί να όλους τους αναγνώστες του Καλά Χριστούγεννα και ευτυχισμένο το νέο έτος!
  • במילים אחרות, זה הבלוג מאחל לכל הקוראים חג מולד שמח ושנה טובה ומבורכת שלה!
  • दूसरे शब्दों में, इस ब्लॉग सभी एक क्रिसमस और नव वर्ष के पाठकों के लिए चाहता है!
  • Más szóval, ez a blog szeretné minden olvasó kellemes karácsonyi ünnepeket és boldog új évet!
  • Með öðrum orðum, this blog óskum öllum lesendum sínum gleðilegra jóla og Gleðilegt nýtt ár!
  • Dengan kata lain, blog ini ingin semua pembaca selamat hari raya natal dan tahun baru yang bahagia!
  • I bhfocail eile mian, blag seo go léir a léitheoirí ar na Nollag Merry agus sona bhliain nua!
  • 言い換えれば、このブログのすべての読者は、陽気な、幸せな新年をクリスマスにしたい!
  • 즉,이 블로그의 모든 독자 메리와 해피 뉴 이어 올해는 크리스마스에 소원을!
  • Citiem vārdiem sakot, šī bloga vēlas visiem lasītājiem priecīgus Ziemassvētkus un laimīgu Jauno gadu!
  • Kitaip tariant, šio dienoraščio nori visiems savo skaitytojams Linksmų Kalėdų ir laimingų Naujųjų metų!
  • Со други зборови, овој блог сака да сите негови читатели "весела Божиќ и Среќна Нова Година!
  • Dengan kata lain, blog ini ingin semua pembaca selamat hari raya natal dan tahun baru yang bahagia!
  • Fi kliem ieħor, dan il-blog jixtieq qarrejja kollha tiegħu Merry Milied u sena ġdida kuntenti!
  • Med andre ord ønsker denne bloggen til alle sine lesere en god jul og et godt nytt år!
  • به عبارت دیگر ، این وبلاگ به خواسته های خود را به تمام خوانندگان کریسمس مسرور و خوشحال سال جدید!
  • Innymi słowy, ten blog życzenia dla wszystkich czytelników Wesołych Świąt i Szczęśliwego Nowego Roku!
  • Cu alte cuvinte, acest blog doreşte tuturor cititorilor săi un Crăciun fericit şi un an nou fericit!
  • Иными словами, этот блог пожелания всем читателям счастливого Рождества и счастливого Нового Года!
  • Другим речима, овај блог жели свим својим читаоцима Честит Божић и сретна нова година!
  • Inými slovami, tento blog želá všetkým svojim čitateľom veselé Vianoce a šťastný nový rok!
  • Z drugimi besedami, ta blog želi vsem svojim bralcem Vesel božič in srečno novo leto!
  • Kwa maneno mengine, hii blog anataka wasomaji wake wote a merry christmas na mwaka mpya kwa furaha!
  • Med andra ord önskar denna blogg till alla sina läsare en God Jul och ett gott nytt år!
  • ในคำอื่นๆบล็อกนี้ขอให้ทุกคนอ่านมันม้าคริสต์มาสและปีใหม่สุข!
  • Diğer bir deyişle, bu blog tüm okuyucuları bir keyifli ve mutlu bir yeni yıl yılbaşı istiyor!
  • Іншими словами, цей блог побажання всім читачам щасливого Різдва і щасливого Нового Року!
  • Nói cách khác, blog này mong muốn tất cả các độc giả của nó một merry christmas và một năm mới vui vẻ!
  • Mewn geiriau eraill, y blog yn dymuno ei holl ddarllenwyr Nadolig Llawen a blwyddyn newydd dda!
  • אין אנדערע ווערטער, די בלאָג ווישעס צו אַלע זיין רידערז אַ לעבעדיק ניטל און אַ גליקלעך נייַ יאָר!

Roriz 2010 - Parte 5

O que significa índice de rejeição?

Efetivamente é o percentual do eleitorado que diz que não votaria naquele candidato "de jeito nenhum".

Mas o que ele mede?

Em teoria deveria ser uma indicação do potencial de crescimento do candidato.

Mas é assim?

Nem tanto. Depende de como é calculado este índice. O problema é que é uma questão da teoria de conjuntos.

Imagine um espaço de conjuntos de eleitores contendo:
- eleitores que podem votar no candidato A
- eleitores que podem votar no candidato B
- todos os demais eleitores

Estes conjuntos possuem intersecções

O primeiro conjundo vamos chamar de {A}, o segundo vamos chamar de {B}. E o outro conjunto que não irá votar em nenhum dos dois vamos chamar de {D}.

A interseção de A com B é o conjunto de eleitores que podem votar tanto em A quanto em B.
A interseção de A com D é o conjunto vazio.
A interseção de B com D é o conjunto vazio.

Não sabemos ao certo quantos elementos possuem em cada conjunto. Quando perguntamos em qual candidato o eleitor vota, temos apenas uma estimativa do conjunto real.

Mas ao perguntarmos:

É o único que o(a) Sr(a) votaria?
Poderia votar nele,mas também em outro?
Não votaia nele de jeito nenhum?

Passamos a ter uma idéia mais precisa das dimensões do conjunto. A última pergunta é chamada a taxa de rejeição. Em uma pesquisa ela não mede somente os elementos do conjunto B que não ter interseccção com A, mas também os elementos do conjunto C.

Vamos a um caso de medição.

Poderia votar em qualquer um
n(A e B) = 23%
Votaria somente no candidato A
n(A)-n(A e B) = 36%
Votaria somente no candidato B
n(B)-n(A e B) = 28%
Não votaria no candidato B de jeito nenhum
n(A)-n(A e B) + n(D) = 44%
Não votaria do candidato A de jeito nenhum
n(B)-n(A e B) + n(D) = 35%

Assim temos n(A e B) = 23%, n(A)=59%, n(B)=51%  e n(D)=8%

Os números são aproximados, mas temos uma idéia do universo que nos rodeia. Note que n(A)+n(B)=110%, o que indica claramente que existem elementos em comum aos dois conjuntos.

Infelizmente, a maioria das pesquisas divulgadas não fala muito sobre os elementos comuns aos dois. Essencialmente as pesquisas de opinião só informam os percentuais de votos e os índices de rejeição.

O que impede a solução exata do problema. E o problema piora com o aumento no número de candidatos.

Só para justificar o título do post: a rejeição dos candidatos está no Blog da Paola.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Roriz 2010 - Parte 4

Do blog da Paola Lima vem mais uma pesquisa com maior número de entrevistas e portanto margem de erro menor.

Joaquim Roriz (PSC) - 34,3%
Agnelo Queiroz (PT) -. 16%
José Antôno Reguffe (PDT) - 8,8%
Paulo Octávio (DEM) - 7,2%
Gim Argello (PTB) - 2,7%
Toninho (PSOL) - 2,1%
Nenhum desses - 21,6%
Não soube/Não respondeu - 7,3%

Se compararmos com a pesquisa já realizada pelo Datafolha (no cenário 2) temos:

Joaquim Roriz (PSC) - 46%
Agnelo Queiroz (PT) - 11%
José Antôno Reguffe (PDT) - 6%
Paulo Octávio (DEM) - 7%
Gim Argello (PTB) - 5%
Nenhum desses - 16%
Não soube/Não respondeu - 10%

Considerando que a margem desta pesquisa é de 4 pontos percentuais e da outra é de 2.5 pontos percentuais só há discrepância no nome de Roriz. Se olharmos esta pesquisa com os 4 pontos de incerteza vemos o seguinte aspecto:

Joaquim Roriz (PSC) - [42-50]%
Agnelo Queiroz (PT) - [7-15]%
José Antôno Reguffe (PDT) - [2-10]%
Paulo Octávio (DEM) - [3-11]%
Gim Argello (PTB) - [1-9]%
Nenhum desses - [12-20]%
Não soube/Não respondeu - [6-14]%

E na pesquisa anterior temos:

Joaquim Roriz (PSC) - [31.8-36.8]%
Agnelo Queiroz (PT) - [13.5-18.5]%
José Antôno Reguffe (PDT) - [6.3-11.3]%
Paulo Octávio (DEM) - [4.7-9.9]%
Gim Argello (PTB) - [0.2-5.2]%
Toninho (PSOL) - [0-4.6]%
Nenhum desses - [19.1-24.1]%
Não soube/Não respondeu - [4.8-9.8]%

Portanto, se realizarmos a intersecção teremos:

Joaquim Roriz (PSC) - [X]%
Agnelo Queiroz (PT) - [13.5-15]%
José Antôno Reguffe (PDT) - [6.3-10]%
Paulo Octávio (DEM) - [4.7-9.9]%
Gim Argello (PTB) - [1-5.2]%
Nenhum desses - [19.1-20]%
Não soube/Não respondeu - [6-9.8]%

É estranha a divergência entre os dados do Datafolha quanto a Roriz. Infelizmente tem-se a impressão que houve o interesse em minimizar o impacto do mesmo.

É compreensível, mas errado

Roriz 2010 - Parte 3

Segunda feira, 5 de julho de 2010.

Esta é a data limite para registro de candidatos às eleições de 2010.

Hoje, estamos em dezembro de 2009. Portanto, podemos com tranquilidade dizer que faltam 7 meses para esta data.

Portanto, ainda há tempo para muito acontecer.

No entando, dadas as pesquisas de tempos passados, é difícil crer que vamos ter outra coisa que não Roriz em 2010.

Roriz 2010 - Parte 2

Agora estou com os dados crus da pesquisa. E posso dizer que mesmo eles não foram exatamente simples de interpretar. Mas vamos lá:

Candidato
Total
Masculino
Feminino
Joaquim Roriz (PSC)
247
121
126
Agnelo Queiroz (PT)
59
33
26
José Antonio Reguffe (PDT)
32
18
14
Gim Argello (PTB)
25
12
13
Ademir Santana (DEM)
4
1
3
Em branco/nulo/ nenhum
94
40
54
Não sabe
49
17
32
Total Nos. absolutos
510
242
268

Bem, aí temos os dados crus da pesquisa. E algumas coisas que chamam a atenção são:
  1. O número de pessoas que afirma que não sabe em quem votar (49 de 510)
  2. O número de pessoas que irá votar branco/nulo (94 de 510)
Portanto poderíamos fazer uma pesquisa mais informativa só com os seguintes dados:
  • 72% dos eleitores tem candidato
  • 10% dos eleitores não tem candidato
  • 18% dos eleitores irá votar branco/nulo
Podemos afirmar ainda quanto ao sexo:
  • 7% dos eleitores do sexo masculino não tem candidatos
  • 76% dos eleitores do sexo masculino tem candidatos
  • 17% dos eleitores do sexo masculino irá votar branco/nulo
  • 12% dos eleitores do sexo feminino não tem candidatos
  • 68% dos eleitores do sexo feminino tem candidatos
  • 20% dos eleitores do sexo feminino irá votar branco/nulo
Dos eleitores que tem candidatos podemos dizer que:
  • 48% estão com Roriz
  • 12% estão com Agnelo
  • 6% estão com Reguffe
  • 5% estão com Gim
  • 1% estão com Ademir Santana
Total 72%.

Alternativamente podemos dizer que dos que já decidiram votar por um candidato temos:
  • 67% estão com Roriz
  • 16% estão com Agnelo
  • 9% estão com Reguffe
  • 7% estão com Gim
  • 1% estão com Ademir Santana
Total 100%

Já com relação aos eleitores do sexo masculino podemos dizer que:
  • 50% estão com Roriz
  • 14% estão com Agnelo
  • 7% estão com Reguffe
  • 5% estão com Gim
  • 0% estão com Ademir Santana
Já com relação aos eleitores do sexo feminino podemos dizer que:
  • 47% estão com Roriz
  • 10% estão com Agnelo
  • 5% estão com Reguffe
  • 5% estão com Gim
  • 1% estão com Ademir Santana

Em poucas palavras,  o número de indecisos é de 10%. Mas o número de votos em brancos e nulos é de 18%. O que dá um total de 28%.

A margem de Roriz para os outros candidatos combinados é de 72-48= 24%

Portanto, teoricamente, SE os demais abrissem mão da disputa em favor de um candidato único E todos os indecisos votassem neste candidato E todos os nulos/brancos fossem para este candidato único...

então Roriz estaria apertado. Do contrário ele está muito tranquilo

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Roriz em 2010 - Parte 1

Saiu esta semana uma pesquisa Datafolha sobre eleições 2010. E como se era de esperar Roriz lidera disparado na frente dos outros.

Uma parte interessante da pesquisa é a realização de cenários, com e sem candidatos (Arruda e Cristovam) na corrida. Naturalmente, independente da concorrência, Roriz ganha em todos.

Além disto há alguns dados interessantes como a distribuição dos votos dos candidatos por camadas sociais e sexo. Por exemplo, no cenário mais provável:

49% dos votos masculinos e 46% dos votos femininos vão para Roriz

Podemos interpretar este valor da seguinte forma

  • número de votos masculinos para Roriz/número de votos masculinos = NvRm/Nm
  • número de votos femininos para Roriz/número de votos femininos = NvRf/Nf

Ao mesmo tempo temos que o percentual total de votos para Roriz de 48%. Podemos interpretar isto como:

  • (número de votos masculinos para Roriz + número de votos femininos para Roriz) / (número de votos masculinos + número de votos femininos) = (NvRm+NvRf)/(Nm+Nf)

E por fim temos mais alguma informação:

  • número de votos masculinos + número de votos femininos = 510

Isto nos dá quatro equações e quatro icógnitas, será que podemos determinar algo interessante?

Claro que sim:

  • número de votos femininos = 170
  • número de votos masculino = 340
  • número de votos masculinos para Roriz = 167
  • número de votos femininos para Roriz = 78

Com isto podemos realizar diversas brincadeiras.

Por exemplo, podemos calcular a probabilidade condicional de vários casos:

  • P(votar em Roriz)=(167+78)/(340+170) = 49/102
  • P(sexo masculino)=340/(340+170) = 2/3
  • P (sexo feminino)=170/(340+170) = 1/3
  • P(votar em Roriz | sexo feminino) = 78/170 = 39/85 = 0.46
  • P(votar em Roriz | sexo masculino) = 167/340 = 0.49

Portanto a probabilidade de votar em Roriz e ser do sexo feminino é:

  • P(votar em Roriz | sexo feminino)*P(feminino) = P(votar em Roriz e ser do sexo feminino)=78/510=0.153

De modo similar, a probabilidade de votar em Roriz e ser do sexo masculino é:

  • P(votar em Roriz | sexo masculino)*P(masculino) = P(votar em Roriz e ser do sexo masculino)=167/510 = 0.327


Estes cálculos irão nos permitir trabalhar depois com os cálculos por faixa de renda.

O clima afeta a riqueza das nações?

Difícil dizer que não.

E se eu dissesse que existe uma associação positiva entre riqueza e invernos temperados?

Talvez nem todos concordassem.

Mas há evidências: este artigo e este artigo mostram um estudo ligando a temperatura em inverno com PIB. A associação parece ser complexa, mas há indicações claras que ela existe.

E é a seguinte: países com inverno tem mais chance de maior PIB do que países tropicais.

A razão? Eu não sei, mas desconfio de algumas razões ligadas a sazonalidade do inverno.

Há mais informações neste site.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Câmara e Senado: cento e tantos escândalos em 1 ano

As informações são de Fernando Rodrigues:
  1. 828 servidores ignoram censo interno do Senado
  2. Verba indenizatória secreta na Câmara e no Senado
  3. Castelogate, o deputado Edmar Moreira e sua segurança privada
  4. Agaciel Maia, diretor-geral do Senado, e sua mansão
  5. Horas extras nas férias para funcionários da Câmara e do Senado
  6. Chico Alencar (PSOL-RJ) contrata correligionário
  7. Diretor do Senado usava apartamento funcional para família
  8. Sarney utiliza seguranças do Senado no Maranhão
  9. Empresas terceirizadas abrigam parentes de diretores e funcionários do Senado
  10. Tião Viana empresta celular à filha em viagem ao México
  11. Diretores no Senado: eram 181
  12. Assessora de Roseana Sarney também era diretora
  13. Renan emprega sogra de assessor no Senado, filho na Câmara, tem funcionários fantasmas e aliado recebendo verba indenizatória em Alagoas
  14. Filha de FHC trabalha de casa para senador
  15. Diretora de comunicação do Senado em campanha
  16. Deputado Alberto Fraga (DEM-DF) contrata empregada doméstica
  17. Deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP) contrata empregada doméstica
  18. Deputado José Paulo Tóffano (PV-SP) contrata empregada doméstica
  19. Tasso Jereissati (PSDB-CE) e os loucos por jatinhos
  20. Gráfica do Senado imprime material de campanha
  21. Funcionários do senador Adelmir Santana (DEM-DF) prestam serviço a vice-governador
  22. Ministro Hélio Costa (PMDB, Comunicações) usa serviço de secretária paga pelo seu suplente no Senado, Wellington Salgado (PMDB-MG)
  23. Terceirização irregular no Senado
  24. Deputado Fábio Faria (PMN-RN) pagou viagens para Carnatal, inclusive para Adriane Galisteu
  25. Ministros-deputados usam passagens da Câmara
  26. Deputados fazem viagens internacionais pagas pela Câmara
  27. Câmara e Senado perdoam todos os delitos da "farra aérea" e fingem cortar gastos
  28. Viúva do senador Jefferson Péres (PDT-AM) recebe sobra de passagens em dinheiro
  29. Ministros do Supremo Tribunal Federal entram na cota de passagens da Câmara
  30. Senador Gerson Camata (PMDB-ES) acusado de uso de caixa dois
  31. Delegado Protógenes Queiroz voou com passagens do PSOL
  32. Membros do Conselho de Ética usaram passagens e ajudam financiadores de suas campanhas
  33. Fernando Gabeira (PV-RJ) deu passagens para família ir ao exterior e contratou mulher com verba indenizatória
  34. Michel Temer (PMDB-SP), presidente da Câmara, também usou passagens para "familiares e terceiros"
  35. Ministro do TCU Augusto Nardes (ex-deputado) voa na cota do deputado Otávio Germano (PP-RS)
  36. Câmara pagou 42 passagens para ex-diretor do Senado João Carlos Zoghbi e família
  37. Senado paga motorista de ministro Hélio Costa (Comunicações) em BH
  38. Ciro Gomes (PSB-CE) reage à reportagem sobre passagens com xingamentos
  39. Gabinetes da Câmara negociam bilhetes de deputados com agências
  40. Senadores têm seguro saúde vitalício para a família
  41. Senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) usou assessor do Senado para compras particulares
  42. Ex-diretor de RH do Senado João Carlos Zoghbi usava empresas de fachada
  43. Deputado Eugênio Rabelo (PP-CE) usa cota aérea com time de futebol
  44. Deputados "clonam" prestação de contas
  45. Deputado Geraldo Resende (PMDB-MS) pagou com verba indenizatória advogado que atuou em sua defesa no TSE
  46. 117 ex-deputados tiveram passagens aéreas pagas pela Câmara
  47. Senador Magno Malta (PR-ES) passou quatro dias em Dubai com dinheiro do Senado
  48. Senadores Alvaro Dias (PSDB-PR), Geraldo Mesquita (PMDB-AC), Paulo Paim (PT-RS) e Osmar Dias (PDT-PR) usaram cota para voos ao exterior
  49. Senador Renan Calheiros (PMDB-AL) cedeu passagens a primo e a 2 assessores
  50. Senador Eduardo Suplicy (PT-SP) deu passagem para namorada ir ao exterior
  51. Senadores vivos 'ganham' ruas e avenidas em reduto eleitoral
  52. Funcionário preso do Senado recebeu salário por 5 anos
  53. Senado pagou 291 passagens para ex-senadores e até para dois senadores já mortos
  54. Câmara paga piloto de avião de ministro Geddel Vieira Lima (PMDB, Integração)
  55. Câmara paga 8 voos para investigado pela PF que é colaborador do empresário Fernando Sarney
  56. STF abre processo contra deputado acusado de atentado violento ao pudor
  57. Auxílio-moradia para comprar apto. E para quem não precisa: deputados Alexandre Silveira (PPS-MG) e Rita Camara (PMDB-ES) e senadores Gerson Camata (PMDB-ES), José Sarney (PMDB-AP), João Pedro (PT-AM), Cícero Lucena (PSDB-PB) e Gilberto Gollner (DEM-MT)
  58. Efraim Morais (DEM-PB): 52 funcionários fantasmas e carro oficial para uso particular
  59. Servidor do PMDB no Senado que ganha R$ 15 mil mensais dá expediente em loja de móveis
  60. Funcionário envolvido em operação da PF é indicado para comissão no Senado
  61. José Sarney tem amigos, aliados e parentes contratados pelo Senado
  62. Senado usa mais de mil atos secretos para criar cargos e aumentar benefícios
  63. Senado indeniza empresa suspeita de irregularidade com R$700 mil
  64. Deputados ignoram regras da Câmara para pagar alimentação
  65. 350 funcionários do Senado têm salário maior que o de ministros do STF
  66. Valdir Raupp (PMDB-RO) aprova concessão de rádio que tem como sócio seu assessor
  67. Arthur Virgílio (PSDB-AM) mantém fantasma em seu gabinete
  68. Neto de Sarney opera no Senado crédito consignado, que é alvo da PF
  69. Fernando Collor (PTB-AL) usa verba indenizatória para vigiar Casa da Dinda e comprar quentinhas
  70. Nova diretora de RH do Senado entrou no emprego em trem da alegria
  71. Sarney oculta da Justiça casa de R$ 4 milhões e a usa para reunião com lobistas
  72. Senado tem contas secretas
  73. Ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) emprega mulher na Câmara
  74. Senado ignora decisão do STF e mantém nepotismo
  75. Fundação Sarney é suspeita de desviar verba de estatal
  76. Sarney é acusado de ter conta bancária no exterior
  77. Senadores inflam gabinetes com afilhados políticos
  78. Fabricante de caças pagou viagem de deputados a Paris
  79. Trem da alegria secreto efetivou 82 servidores do Senado sem concurso
  80. Comissões do Senado empregam fantasmas
  81. Senado usou quase R$ 1 milhão de verba de fundo sem licitação
  82. Paulo Roberto (PTB-RS) e Eugênio Rabelo (PP-CE) são acusados de reter salários de assessores
  83. Roseana Sarney (PMDB-MA) pagou secretária com verba indenizatória
  84. Rosalba Ciarlini (DEM-RN) usou cota de passagens aéreas para turismo
  85. Álvaro Dias (PSDB-PR) não declarou R$ 6 milhões à Justiça Eleitoral
  86. Sérgio Guerra (PSDB-PE) bancou viagem de filha à Nova York com dinheiro do Senado
  87. Senador Roberto Cavalcanti (PRB-PB), investigado pelo Fisco, dá emprego a filha do secretário da Receita
  88. Empreiteira pagou dois imóveis para família Sarney em SP
  89. Senado gastou R$ 25 mil em acordo que ficou só no papel
  90. Tião Viana (PT-AC) ocultou casa de R$ 600 mil da Justiça Eleitoral
  91. Senado ignora sobrepreço em obra de prédio
  92. Papaléo Paes (PSDB-AP) quis contratar mulher de Agaciel Maia para trabalhar em seu gabinete
  93. Câmara perdoa 85% das faltas dos deputados
  94. Senado gastou R$ 70 mil em curso de Ideli Salvatti (PT-SC) em 3 países
  95. Ministro do PR usa emendas de orçamento para atrair deputados ao seu partido
  96. Marco Maciel tinha funcionário presidiário recebendo salário
  97. 98 servidores do Senado fizeram cursos no exterior em 2007 e 2008
  98. Dos 3.413 funcionários efetivos do Senado, apenas 300 não recebem complementação salarial
  99. José Sarney (PMDB-AP) e Michel Temer (PMDB-SP) mantém supersalários
  100. Senado custeia despesas da Polícia Militar do Distrito Federal
  101. Sem resultados, Parlasul gasta R$ 580 mil do Congresso Nacional em diárias
  102. Câmara cede imóvel funcional a Gastão Vieira, secretário de Roseana Sarney no Maranhão
  103. Senado desrespeita Supremo e não remove senador cassado
  104. Empresário do DF diz ter entregue propina aos deputados Michel Temer (PMDB-SP), Tadeu Filipelli (PMDB-DF), Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Henrique Alves (PMDB-RN)
E você que achava que o maior problema era a crise no GDF...

    Os interesses ocultos

    Todos sabemos da desfiliação do Arruda e do seu impedimento para candidatar a reeleição.

    No momento que ele se desfiliou, Arruda deixou de ser uma força a ser vencida em uma disputa eleitoral. Naturalmente existe a capacidade de transferência de votos. Mas é muito mais limitado do que se imagina.

    Então qual é o interesse? Em verdade existem muitos.

    Caso em questão? A notícia de hoje do Estadão (update).

    MPF: Barbosa disse que próprio Arruda entregou planilha

    CÉLIA FROUFE - Agencia Estado


    BRASÍLIA - Insatisfeito com a falta de prestação de contas da arrecadação de propinas, o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (ex-DEM), teria dado pessoalmente uma planilha ao ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa com a lista das companhias que prestavam serviço ao governo e o incumbido, a partir daquele momento, de operar a cobrança extra a empresas de informática. O episódio, que teria ocorrido em meados de 2007, no "Buritinga" - situado na cidade satélite de Taguatinga, de onde Arruda despacha -, foi relatado por Barbosa ao Ministério Público Federal (MPF), no último dia 9, segundo inquérito disponibilizado hoje na internet pelo portal IG.

    "O declarante afirma que o governador Arruda somente chamou o declarante para operar a arrecadação de propina dessas empresas porque as pessoas que estavam até aquele momento encarregadas por Arruda de fazer a arrecadação não estavam prestando contas a ele", diz o documento. A ligação direta do governador com planilhas referentes ao suposto esquema de corrupção é mais um elo do caso que é conhecido como "mensalão do DEM" e que levou Arruda a se desligar do partido no início do mês, antes da realização de reunião da legenda convocada para a sua expulsão.

    O problema com a notícia não é a sua veracidade.

    O problema é: como em um final de semana se conseguiu tal notícia? É claro que ela foi vazada. E foi vazada de propósito em um dia aonde nenhum repórter iria conseguir esta informação nos tribunais.

    Sobra a polícia federal ou o ministério público como fonte do vazamento.

    Porque no final de semana? Máximo impacto e menor possibilidade de respostas pelas partes acusadas. Só é possível responder a isto na segunda-feira e com o conhecimento do texto em questão.

    O objetivo é claro: criar mais revolta acerca do acusado.

    Ele é inocente? Muito provavelmente não.

    Então de que eu estou reclamando? Da subversão do processo judicial.

    Arruda já está condenado antes de qualquer julgamento.

    sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

    O dilema do Fora Arruda!


    Como pode ser visto na foto as manifestações do "Fora Arruda" estão gradativamente perdendo força.

    E existem duas razões para isto: este tipo de pressão política depende fundamentalmente do momentum da questão. Uma vez que o momentum desapareça ou seja reduzido, a própria dinâmica desta forma de pressão tende a perder força.

    Uma revolta que envolve manifestantes é tão boa quanto sua exposição para a população. Uma vez que a exposição vá diminuindo devido ao decréscimo no número de manifestantes então nada mais natural que o espaço que esta ocupa também diminua. De acordo com os cálculos realizados em outros posts, o número de manifestantes tinha sido propositalmente inchado para demonstrar mais força do que realmente existia.

    Imagino que tivemos um pico de 2 mil a 3 mil no dia da repressão. E durante o tempo do conflito este número já era substancialmente menor. E ao contrário do que se tem falado, o número vem diminuindo a cada dia depois daquela tarde.

    O segundo motivo é que os manifestantes estão interessados em forçar uma agenda que na realidade tem menos a ver com a saída do governador do que com interesses partidários.

    Caso em questão?


    Quita-feira – 17/12 -
    Mobilização contra as licitações do setor Noroeste!
    9:00h - Grande licitação de lotes do Setor Noroeste na Terracap


    Caminhada em Taguatinga
    10:00h -Concentração da Praça do Bicalho ao BURITINGA — Caminhada com panfletagem em Taguatinga. Concentração às 10 horas na Praça do Bicalho, com saída prevista para as 10h30 seguindo pela Comercial Norte com destino ao Buritinga.


    Mobilização contra a licitação de lotes no Noroeste? Humm, isto certamente não é exatamente uma prioridade em um plano para saída do governador.

    Então o que fazer?

    Bem, a coisa é complicada.

    Primeiro deve-se evitar forçar agendas que não são de consenso (podem até ser de consenso entre o núcleo dos manifestantes, mas isto se estende a população que tenta-se convencer?).

    Segundo deve-se ter uma análise precisa da situação. Uma análise furada tende a levar a conclusões furadas e isto costuma dar xabu. Manifestações em Brasília em frente a orgãos vazios? Mobilização durante férias?

    Isto costuma não funcionar

    E por fim, deve-se buscar os meios adequados para os fins adequados. Quando uma ferramenta não é efetiva, utiliza-se outra. Quando existe uma base de apoio, tenta-se minar esta base - dividi-la (os romanos faziam isto e muitos outros ainda fazem). O ano que vem é eleitoral, o que torna mais fácil dividir uma base de apoio com alianças bem escolhidas.

    E claro, pode-se sempre utilizar a estratégia "o inimigo do meu inimigo é meu amigo". Ou mesmo buscar aliados de mais força no processo.

    A "Arte da Guerra" vem a mente em tempos assim...

    Quanta informação estaríamos falando se gravassemos todos os celulares?

    Esta pergunta é interessante pois evidencia que o juiz claramente não sabia o que fazia.

    Um sinal telefônico de qualidade boa precisa ser ser amostrado a 8 bits por amostra e 8 mil amostras por segundo. Efetivamente, isto são 64 kbit/s. Se um byte são 8 bits então temos 8 kB/s ou 480 kB/min.

    Bem, um assinante de celular tem geralmente várias possibilidades de planos. Mas o maior MOU que se encontra é de 100 minutos mensais. Isto significa 25 minutos semanais.

    Portanto em uma semana temos 25 x 480 = 12 MB por telefone. Se utilizarmos compressão de dados este número pode cair bastante. Mas vamos apenas deixar a metade 6 MB.

    O número de celulares no Brasil é de 170 milhões. Portanto teremos 1.02e15 Bytes, ou 1.02 PB (PetaByte)

    Então para todos os efeitos práticos isto é 1 PetaByte de informação.

    Os maiores discos que estão disponíveis agora são de 2 TeraBytes, o que portanto resulta em 500 discos rígidos para armazenar toda esta gama de informações. Se tivermos 4 discos por computador então 125 computadores irão dar conta do recado.

    No entanto a análise deste volume de informações é um trabalho bem razoável.

    Isto pode ser minimizado com procura por palavras chaves. Se cada arquivo tem 12 MB, então a tarefa de encontrar padrões de palavras similares a uma lista pré-determinada pode ser realizada offline.

    Supondo 3 palavras nesta lista e cada arquivo seja varrido em 1 segundo temos. 3 segundos para cada 12 MB ou 4MB/s.

    Isto resulta em  0.5Gs (Gigasegundos) para processar todos os arquivos sequencialmente. Certamente podemos dividir este valor pelo número de computadores, resultando em 4Ms (Megasegundos) de processamento. Isto resulta em 1111.11 horas ou 47 dias.

    Naturalmente este número pode ser razoavelmente diminuído com um pouco de criatividade.

    Muito bem, mas os arquivos crus deste trabalho ocupariam 434043 DVDs de 4.7 GB.

    Aonde se guarda isto?

    Em uma sala cheia de DVDs

    quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

    Um fato inacreditável

    Um fato? Bem, não tenho certeza. Afinal só vi esta notícia em um local apenas.

    No curso da Operação Castelo de Areia, o juiz paulista Marcio Milani concedeu uma autorização inédita na Justiça brasileira: a quebra de sigilo telefônico de todos os celulares do país (atenção, vale repetir: todos). O pedido da Polícia Federal, evidentemente, era para poder grampear alguns telefones. E Milani liberou o grampo para os 168 milhões de celulares ativos no país – o seu, inclusive, leitor. Imagine a festa que pode ter sido feita.

    Por Lauro Jardim 


    Será verdade?

    quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

    Como caracterizar a primeira década de 2000?


    Em uma palavra: sem noção!

    Eu sempre define o começo do século XXI pelo ataque aos Estados Unidos em 11 de setembro de 2001. Eu digo isto, apesar de muitos colocarem como data de início a queda do muro de Berlim.

    Mas na minha sincera opinião, foi a partir de 11 de setembro de 2001 que o mundo, como um todo e os Estados Unidos em particular, perderam um pouco de sua sanidade.

    Acho que nunca tinha percebido o quanto até quando passei seis meses na Inglaterra.
    Eu me surpreendi com o que vi por lá. Mas como estava conhecendo a Europa, eu nem percebi direito.

    Já quando voltei para o Brasil, ai caramba!

    Parecia que todo mundo tinha enlouquecido. Ninguém notava a gigantesca quantidade de tolices e absolutas imbecilidades que fluiam de modo contínuo por todos os lados.

    Eu me resignei e meti a cabeça no trabalho.

    Mas a idiotice se meteu em todos os lugares.

    E hoje temos putas vestais (não consegui arranjar uma palavra menos ofensiva com a mesma força) atacando os enlameados.

    E todo mundo acha isto perfeitamente normal.

    Literalmente facepalm

    terça-feira, 15 de dezembro de 2009

    Nova contagem


    Figura obtida aqui.
    Olhando algumas fotos de multidões vejo que ao invés do padrão:

    xxx
    xPx
    xxx

    É mais razoável utilizar o:

    PxP
    xPx
    PxP

    Neste caso teremos para o caso de 1 pessoa ocupando 0.228 metros quadrados que este número se transforma em 0.41. E no caso de uma pessoa ocupando 0.456 metros quadrados, este número se aproxima dos 0.82.

    Isto está mais ou menos de acordo com o que já verifiquei em outros sites (10 pés quadrados por pessoa).

    Então vou supor que teremos uma variação de 0.41 até 1.23 metros quadrados por pessoa. Isto agora trás considerando uma distribuição uniforme uma média de 0.82 e uma variação de 0.41

    Portanto os pontos sigma são:

    0.5022, 0.82 e  1.13775 com pesos 0.278, 0.444 e 0.278.

    Então teremos como média 1.34 pessoas por metro quadrado. O desvio é de 0.43 pessoas por metro quadrado. Então:

    Jardins do congresso nacional (250 x 195) [44414.25737, 86174.28205]
    Praça dos três poderes (211 x 126) [24221.48608, 46995.47616]
    Praça do Buriti inteira (6954) [6335.522989, 12292.42990]


    Alternativamente poderiamos considerar uma distribuição normal. Neste caso podemos considerar uma média de 0.82 com um desvio de 0.228. Neste caso teríamos uma média de 1.34 pessoas por metro quadrado com um desvio de 0.47. Então:

    Jardins do congresso nacional (250 x 195) [42338.37602, 88495.54924]
    Praça dos três poderes (211 x 126) [23089.39621, 48261.38815]
    Praça do Buriti inteira (6954) [6039.406500, 12623.54973]

    Esta estimativa me parece mais razoável, então eu diria que teríamos em média 1.34 pessoas por metro quadrado com um desvio de 0.47. O que quer dizer que a passeata do item anterior teria algo entre 182 e 381 pessoas

    Bem mais razoável e próximo aos 210 que encontramos anteriormente.

    segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

    Forma diferente de medir multidões



    Figura obtida aqui.
    Como já falei muito sobre a transformada da incerteza, vou me refrear de entrar em mais detalhes sobre ela. Mas ao invés disto vou utiliza-la considerando que o espaço ocupado por uma pessoa é uma variável aleatória.

    Vamos considerar diversas distribuições

    Nos casos anteriores, chegamos ao número de 2 pessoas por metro quadrado (0.5  metros quadrados por pessoa).

    Mas podemos considerar um zona de conforto de 2 metros quadrados por pessoa (considerando um espaço razoável entre as pessoas). Ou até mesmo 4 metros quadrados por pessoa (considerando bastante espaço).

    Um uma situação de bastante aperto, podemos considerar 0.25 metros quadrados por pessoa.

    Então vamos supor que temos uma distribuição uniforme de [0.25,2]  para representar a ocupação de uma pessoa. A média é 1.125 e a variação é de 0,875.

    Usando a UT temos os seguintes pontos:

    0.446875, 1.125 e 1.803125

    Com pesos

    0.278, 0.444 e 0.278

    Portanto o espaço médio ocupado é de 1.1709 pessoas por metro quadrado. O desvio é de 0.6763 pessoas por metro quadrado.

    Então o caso em questão se torna mais simples. Para o exemplo:

    Jardins do congresso nacional (250 x 195) [24115.85596, 90050.92517]
    Praça dos três poderes (211 x 126) [13151.67480, 49109.61839]
    Praça do Buriti inteira (6954) [3440.034099, 12845.41813]

    Já se relaxarmos mais o caso e considerarmos entre 1 e 3 metros quadrados por pessoas temos uma distribuição uniforme de [1,3]  para representar a ocupação de uma pessoa. A média é 2 e a variação é de 1.

    Usando a UT temos os seguintes pontos:

    1.225, 2 e 2.775
    Com pesos

    0.278, 0.444 e 0.278

    Portanto o espaço médio ocupado é de 0.55 pessoas por metro quadrado. O desvio é de 0.18 pessoas por metro quadrado.

    Para o exemplo:

    Jardins do congresso nacional (250 x 195) [18210.42042, 35328.67776]
    Praça dos três poderes (211 x 126) [9931.122815, 19266.63030]
    Praça do Buriti inteira (6954) [2597.646433, 5039.500003]

    A diferença vista é grande. Em um caso temos de 2.6 mil a 5 mil e no outro temos 3.4 mil e 12.8 mil.

    Esta diferença é dado por quão próximas estão as pessoas.

    Isto quer dizer que é fundamental determinar a média e faixa de variação do espaço que uma pessoa ocupa.

    Vou procurar fotos aonde isto possa ser verificado

    Figura obtida aqui.

    sábado, 12 de dezembro de 2009

    Quantas pessoas no dia da repressão?



    O Vídeo acima traz a reportagem da Globo sobre a repressão no dia  9 de dezembro de 2009. Aos 25 segundos temos uma idéia do número de pessoas envolvidas no protesto.

    Como as mesmas ocupam algo como cerca de 1/3 da praça do Buriti, temos uma área de 2318 métros quadrados e algo em torno de 579 e 1159 pessoas. Um número bem menor que as 1500 pessoas estimadas pela PM.

    Mesmo assim é um número bem expressivo

    Quantas pessoas no Fora Arruda!


    Quantas pessoas temos nesta foto? Aproximadamente 210 pessoas.

    Este número é o que o Globo disse que era de quase 500.

    Infelizmente, o pessoal decidiu que não era necessário contar o número real para noticiar. E há ainda outra foto:


    Esta mesma foto está relacionada com a anterior como podem ver. Infelizmente não dá para saber se ocuparam 2 ou 3 faixas do eixo monumental. E é difícil dizer a distância, dado que não temos referencial para estimar o tamanho.

    Então temos que trabalhar com o que temos. Os postes ao lado tem uma distância entre si de 30 metros. Supondo a ocupação de 2 faixas teremos algo em 2 ou 3 postes como referência do tamanho da multidão.

    Então temos 2*60 ou 2*90 ou 4*60 ou 4*90.

    Estimando a multidão entre 120 e 360 pessoas (médida de 240). Não é tão longe do esperado

    Quantas pessoas tem aí?


    Uma área muito interessante e até importante é a estimação do tamanho de uma multidão.

    O tamanho real de um grupo de pessoas é frequentemente utilizado como instrumento político e por vezes como de pressão. Para tanto vamos utilizar a matemática em conjunto com a incerteza para determinarmos o tamanho de diversos casos de multidão.

    A idéia é simples: determina-se a área que uma pessoa ocupa e com isto podemos estimar, dada uma incerteza nesta área, quantas pessoas ocupam um determinado local. Mais a frente podemos fazer mais brincadeiras

    Bem, a idéia é considerar a área de uma folha de jornal. Uma pessoa em posição de sentido ocupa aproximadamente uma área de 1 página. Uma pessoa em posição mais relaxada ocupa aproximadamente 2 páginas.

    Um jornal de tamanho standard tem o tamanho aproximado de 60 cm por 38 cm. Isto resulta em uma área de 0.228 metros quadrados. Como uma pessoa em posição relaxada ocupará duas páginas então teremos que a área será 2 vezes maior ou seja 0.456 metros quadrados.

    Dificilmente teremos uma multidão de pessoas amontoadas em posição de sentido, então vamos aproximar a área de 1 pessoa por 0.5 metros quadrados. A vantagem disto é que basta multiplicar a área em questão por 2 e teremos o número de pessoas.

    Uma área de 100 metros quadrados (10 por 10) poderia ser ocupada por algo próximo a 200 pessoas. Se isto parece muito é porque é realmente é. No caso de 1 quilometro quadrado teríamos 2 milhões de pessoas.

    A verdade é que entre as pessoas sempre vai existir um espaço, portanto temos que levar em conta este espaço. Mas como fazer isto?

    Uma primeira aproximação é pensar que haveria pelo menos uma separação equivalente entre as pessoas. Graficamente é algo assim:

    xxx
    xPx
    xxx

    Isto significa que aonde caberiam 9 pessoas, teremos apenas 1.

    Voltando ao 0.228 metros quadrados por pessoa isto se transforma em 2.052. E no caso dos 0.456 metros quadrados isto se transforma em 4.152.

    Podemos aproximar estes números para 2 e para 4. Então teríamos no espaço de 100 metros algo entre 50 e 25 pessoas, e no espaço de 1 quilometro quadrado algo entre 500 mil e 250 mil pessoas. 

    Isto já passa a ser mais próximo da realidade. Então vamos ao que interessa:

    Quantas pessoas podem caber nos jardins do congresso nacional?

    Bem, as dimensões dos jardins são de 250 por 195 metros, O que dá algo entre 24250 e 12125 (entre 12 mil e 24 mil pessoas).

    Quantas pessoas podem caber na praça dos três poderes?

    As dimensões são 126 por 211 metros. O que dá algo em torno de 6646 e 13293 (entre 6.6 mil e 13.3 mil pessoas).

    Vamos agora a ocupação de pistas, que foi o caso recente de Brasília. Quantos manifestantes cabem em uma das nossas avenidas?

    O eixo monumental tem 21 metros de largura somando todas as faixas (são 6 no total). Vamos colocar 24 metros pois isto simplifica os cálculos e introduz um erro de cerca de 15%.

    Bem então uma manifestação ocupando todas as 6 pistas terá 6 a 12 vezes o número de pessoas multiplicado pelo comprimento da manifestação em metros. Assim uma manisfestação com 1 quilometro de extensão tem cerca de 6 mil a 12 mil pessoas. Uma com 100 metros tem de 600 a 1200 pessoas.

    Já se não forem todas as faixas ocupadas teremos um número que será numero de pistas/6 multiplicado por 6 a 12 vezes o comprimento da manifestação.

    O que isto quer dizer? Se apenas 2 pistas fossem utilizadas uma manfestação com 100 metros tem de 200 a 400 pessoas.

    10 metros teríamos entre 20 e 40 pessoas.

    Então a regra? Pegue a área do local em questão e divida por 2 e terá o limite superior no número de pessoas.

    Isto funciona? Bem, vou testar em alguns exemplos nos próximos posts?

    quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

    Crise do GDF perto do fim?

    Informações do Blog do Noblat indicam que Arruda se desfiliou do DEM.

    Arruda desfilia-se do DEM

    O governador José Roberto Arruda, do Distrito Federal, acaba de se desfiliar do DEM. Fará um pronunciamento mais tarde a respeito de sua decisão.

    O Tribunal Superior Eleitoral fica dispensado, assim, de examinar o mandado impetrado por ele, ontem, que alega não ter tido prazo para se defender diante da Executiva do seu partido da acusação de que comandou uma organização criminosa resonsáve pelo desvio de milhões de reais dos cofres públicos.

    Com o mandado, Arruda queria a suspensão da reunião da Executiva do DEM marcada para amanhã, e que iria expulsá-lo do partido.

    Arruda deve ter tido informações de que o mandado impetrado por ele seria negado.

    Ao se antecipar à decisão do tribunal, ele torna dispensável a reunião da Executiva.

    Ao ficar sem partido, ele não poderá ser candidato a nada no próximo ano. Pretendia disputar a reeleição.

    Doravante, deve se dedicar a enterrar na Câmara Legislativa três pedidos de impeachment que ali foram admitidos. Arruda tem maioria folgada de votos entre os 24 deputados distritais para continuar no cargo.

    Com isto, existe uma real possibilidade de muita da pressão política que ele sofre minguar. Existem outros interesses, mas os majoritários tendem a querer que as coisas fiquem tranquilas. Pelo menos até o próximo governo.

    Na minha análise as mobilizações populares mostraram apenas duas coisas:

    1) que pelo menos parte da população do DF não é conivente com a corrupção
    2) as mobilizações deram subsídio para outros setores com mais poder cercar o governo

    No entanto, o delírio é parte natural de muitos participantes de mobilizações populares. Então podem se preparar para análises rocambolescas.

    Façam o que que faço: comprem pipoca antes

    Manifestantes Profissionais - 3

    Olhem só, não é somente no Brasil.

    Do site do observatório da imprensa:

    ALEMANHA
    Empresa aluga de manifestantes

    Por Leticia Nunes (edição), com Larriza Thurler em 23/1/2007

    Vai um manifestante aí? Um sítio alemão teve a curiosa idéia de alugar manifestantes para participar de protestos públicos. Pela modesta quantia de US$ 188 por dia, uma organização pode desfrutar de manifestantes de boa aparência para ajudar a passar sua mensagem política para o público.

    Erento.com (não existe mais) é o nome da página que oferece o serviço. "O que a geração de 1968 fazia por paixão, as pessoas agora fazem por dinheiro", afirma David Gordon Smith em artigo no Der Spiegel [18/1/07]. A Erento é uma companhia de Berlim que faz a ligação entre prestadores de serviços ou proprietários a possíveis clientes e compradores.

    O sítio pode ser considerado no mínimo excêntrico. O aluguel de manifestantes é encontrado junto a esquis, computadores, aviões particulares e carruagens para casamentos. Pelos perfis apresentados, a maioria das 300 pessoas listadas como manifestantes é jovem e atraente. Há opções de homens "atléticos" e mulheres de olhos verdes e "cabelos bem compridos". A partir das informações pessoais, pode-se escolher candidatos pelo tom da pele, classificados como "europeus", "africanos", "sul-americanos" ou "asiáticos".

    E eu achando que era coisa daqui...

    quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

    Manifestantes Profissionais - 2

    Deu no Conjur:

    Sindicatos compram manifestantes em Brasília

    Diskgent - motoboy - maior - SpaccaSindicalistas de Brasília inventaram um método prático, econômico e seguro de fazer protestos e promover manifestações sem precisar deslocar manifestantes do resto do país ou de convencer ninguém sobre a causa a ser defendida. Para isso, criaram o manifestante profissional. Com R$ 40 por cabeça, é possível reunir até duas mil pessoas na Esplanada dos Ministérios, para defender ou atacar qualquer coisa, tomar partido contra ou favor de qualquer um.

    Uma das maiores especialistas no novo método de manifestação sob encomenda é a Nova Central Sindical. Por R$ 80 mil, a nova entidade conseguiu, em duas oportunidades, mobilizar pessoas por algumas horas em defesa de “suas causas”. Tudo pago com notas de R$ 20. Encomendas de manifestantes podem ser feitas com tranquilidade e sem qualquer relutância pelo telefone, por qualquer pessoa. Além dos manifestantes, a organização fornece todo o know-how da manifestação....

    O que eu penso disto?

    Francamente não sei ainda o que pensar exatamente. Porque? Porque a questão do pagamento de manifestantes não é tão simples quanto parece. Isto porque já ocorre com membros participantes de algumas agremiações.

    A diferença é que em geral, este pagamento é reservado a diretorias e núcleos. Mas ele existe...

    Então o que temos são pessoas que recebem para participar de algo que podem ou não acreditar, sob a forma de manifestação de pressão. Isto é errado?

    Hummmm.... Tem certeza?

    E o pedido contra Paulo Octávio é negado

    Deu no blog da Paola:

    Negado pedido de impeachment de PO

    Câmara Legislativa, GDF em 09/12/2009 às 19:36

    Deu no Congresso em Foco: A Procuradoria da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) negou, no início da tarde desta quarta-feira (9), o pedido de impeachment contra o vice-governador do DF, Paulo Octávio (DEM). No entendimento do órgão, Paulo Octávio, por não estar no exercício do comando do poder Executivo, não tem as mesmas responsabilidades que o governador José Roberto Arruda (DEM). A decisão seguiu o padrão já anunciado anteriormente pela Procuradoria, que negou os outros requerimentos que incluíam o vice-governador.

    O pedido de impeachment do vice-governador foi protocolado pela seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF) na última segunda-feira (7). Para a OAB-DF, a Constituição Federal prevê os princípios da simetria e da responsabilidade. Por isso, entendem os conselheiros da Ordem, Paulo Octávio também deveria responder a processo por crime de responsabilidade.

    Até o momento, a OAB-DF não foi comunicada oficialmente da decisão da Procuradoria. Na segunda-feira, a presidente da seccional, Estefânia Viveiros, já tinha antecipado que, se a Procuradoria negasse o pedido, entraria com uma ação no Tribunal de Justiça do DF (TJDF) para reverter o parecer negativo. Em um dos vídeos anexados na Operação Caixa de Pandora, um dos diretores do grupo Paulo Octávio aparece conversando com o ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa, pivô das denúncias de pagamento de mesada a parlamentares distritais e aliados.

    Na realidade, isto não era completamente inesperado. Enquanto as acusações contra Arruda tem evidências bastante contundentes, as contra Paulo Octávio são no máximo circunstanciais. Ele não foi gravado ou filmado, e todas as "atividades" que sao mencionadas como ligadas ao seu nome só são ditas por terceiros.

    No entanto, a raiva e o oportunismo estão em alta e o bom senso tirou férias por um bom tempo.

    Seria tudo muito bom e muito legal se o preço a pagar por este tipo de ação não fosse tão caro.

    Mas é como as coisas são

    terça-feira, 8 de dezembro de 2009

    Sem governo some a corrupção?


    Nem tanto. Na realidade temos em quase todos os locais e formas.

    Um presentinho aqui, outro acolá. Um passeio, uma festa, um convite...

    Podem ser chamadas de estratégias de negócio ou formas de networking. Mas por vezes são apenas tentativas para "adoçar" uma opinião.

    Vide o exemplo no início do texto

    Manifestantes profissionais - Parte 1

    Encontrei um vídeo na Globo que tem mais informações. Mas ainda vou procurar mais a respeito

    Manifestantes Pró-Arruda

    Juro que por esta eu não esperava.

    No entanto temos de ficar surpreso com duas coisas: a primeira é que existam pessoas que tenham a cara dura de fazer isto (depõe seriamente contra elas).

    A segunda é que realmente esta é uma estratégia que não tinha me ocorrido. Provavelmente porque achava que não haveriam pessoas dispostas a isto.

    O que leva a questão da vida de manifestantes profissionais.

    Esta aí um tópico que merece ser investigado. Acredito que voltarei a isto depois

    segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

    Ao vivo da ocupação da CLDF


    Watch live video from foraarruda on Justin.tv

    E a ocupação do CLDF?

    Isto é um espinho enorme nas costas de diversas pessoas.

    Para quem não sabe CLDF é a Câmara Legislativa do Distrito Federal.

    Porque espinho? Ah, quando temos ocupações feitas por pessoas sem relação de parentesco com outros que podem causar um grande barulho, então as mesmas podem ser mais ou menos encerradas de modo relativamente quieto.

    Mas no caso aonde os participantes são jovens filhos de membros de destaque da sociedade de Brasília, a coisa muda de figura.

    O problema é o seguinte: a Juíza deu 24 horas para desocupação. A participação dela termina aqui. ou seja tudo que vier depois será de responsabilidade de quem executa a ordem.

    E aí vem um pepino: a PM sabe muito bem o espinho que é isto. Se algum dos ocupantes se ferir, as chances são de uma dor de cabeça com possíveis ramificações na cúpula da corporação. Então se algo der errado, o que não é improvável, então o oficial responsável pode virar bode expiatório.

    Mas nem de longe é o único: existe a possibilidade que o próprio plenário seja alvo de depredação caso algo dê muito errado. E aí, o responsável pela Câmara - no caso o Cabo Patrício - fique como bode expiatório para os membros do legislativo (e algo que ele não precisa é ser visto como alguém sem autoridade).

    Então talvez seja por isto que o reitor da UnB apareceu para intermediar as negociações com a Casa. A presença dele poderia ter um efeito sobre os alunos em ocupação.

    Bem, poderia... Mas infelizmente este efeito é mais imaginário do que real.

    Então temos um impasse com ramificações complicadas. Ao mesmo tempo que a ocupação acaba involuntariamente beneficiando aos acusados, os demais interessados (mesmo entre os organizadores da ocupação) estão muito satisfeitos com o estado das coisas.

    Só se lasca quem tirou o palito mais curto e tem de resolver a situação...

    E no caso do GDF?

    Eu mantenho minha posição.

    Acredito que ninguém possa realmente crer que pessoas pegando maços de notas de dinheiro estão fazendo aquilo de modo 100% correto.

    Ainda mais quando escondem em meias, cuecas, sacolas ou trancam as portas antes do dinheiro aparecer.

    No entanto, minha preocupação é com os que são apenas citados (e não filmados).

    Não acredito ser justo colocar as pessoas que foram citadas apenas - mesmo dentro de conversas comprometedoras - no mesmo pacote com as que foram filmadas fazendo algo no mínimo duvidoso.

    Existem muitas razões para alguém citar um superior em uma situação como esta. Uma delas é simplesmente para "indicar" que está ali apenas agindo sob ordens.

    E daí? Bem, isto pode ser verdade ou não. E o fato é que a menos que existam outras evidências corroborando com o que o "filmado" diz, então não se pode a priori ter certeza que ele está a mando de alguém ou agindo de conta própria.

    A coisa muda um pouco de figura quando o filmado traz dinheiro. Aí, há um indício que existe uma fonte para tal. Mas aparentemente, neste caso isto não é tão claro assim.

    Então, para evitar que se cometam erros, temos que colocar de lado nossos preconceitos e pré-julgamentos até que se tenham informações suficientes.

    Apenas no caso das pessoas que foram citadas...

    Isto é o que o bom senso recomenda

    A problemática relação entre a polícia e a imprensa

    Nas ondas geradas pelo escândalo do GDF passei a pensar sobre as ligações entre a polícia e a imprensa;

    Sim, porque a divulgação dos vídeos não é o que chamamos de jornalismo investigativo.

    Jornalismo investigativo tornou-se famoso com o escândalo do Watergate. Neste casos os repórteres foram o instrumento na construção do caso contra Nixon.

    E em cima dos efeitos das reportagens é que tivemos a eventual renúncia de Nixon.

    Não é este o caso agora

    O que temos são membros da polícia (e talvez do MP) que "gentilmente cederam" os vídeos para a imprensa.

    Pela bondade do coração deles?

    Evidente que não...

    O propósito é criar uma situação que evite tentativas de "arranjos políticos" para minimizar a divulgação dos casos. Em suma, com a divulgação pública se espera que isto evite que os casos sejam "esquecidos em uma gaveta".

    O conceito é interessante. Algo como "fogo contra fogo".

    Bem, a questão é que fogo queima, seja amigo ou inimigo.

    Esta tudo muito bem quando se tem certeza absoluta que a pessoa em questão cometeu o crime em questão, certo?

    Errado!

    Para entender porque vamos primeiro ao caso em que se tem certeza absoluta que a pessoa em questão NÃO cometeu o crime.

    O que a divulgação de material do caso pode fazer?

    Bem, para começar ela pode ser condenada pela opinião pública que ouve somente o lado mais forte falando.

    Ora, mas quem não deve não teme, certo?

    Ehhhh, não. Qualquer um pode ser acusado de um crime que não cometeu. Supondo que a justiça funcione de modo mais ou menos isento, certamente esta pessoa será considerada inocente (na realidade não culpada) das acusações

    Eventualmente... Que podem ser vários meses ou até mesmo vários anos.

    Bem, mesmo que seja considerada inocente no curso de alguns dias pergunto: qual veículo de comunicação dá um espaço para absolvição do mesmo tamanho que do ataque?

    Resposta? Nenhum...

    Então acusar uma pessoa inocente não é algo de consequências facilmente reversíveis.

    Agora vamos para o outro caso: Está tudo muito bem quando se tem certeza absoluta que a pessoa em questão cometeu o crime em questão, certo?

    Errado! Porque agora? Por causa do "certeza absoluta". Uma coisa a respeito destas duas palavras é que se tem de saber todas as informações a respeito de algo. Não apenas o que um dos lados diz.

    Tem-se de ter várias fases de perguntas e respostas até se estar razoavelmente satisfeita dúvida de existir ou não culpa.

    Então a relação entre a polícia e a imprensa deve ser controlada? Nem tanto, mas os leitores tem de saber de modo claro que quando a polícia "vaza" uma informação existe uma probabilidade que isto seja intencional - com uma finalidade que pode não ser tão bonita assim.

    Qual a forma de regular isto? Bem, acredito que a divulgação com intenção de difamar ou de escarnecer uma pessoa sob investigação só deveria ser punida no caso em que verifique-se que a inocência da pessoa.

    Neste caso, a punição tem de ser exemplar para o agente policial ou do poder judiciário que fez isto. Demissão e divulgação pública do abuso de poder.

    Assim se "protegem" os possíveis inocentes do abuso - com a penalização forte dos abusos ocorridos.

    domingo, 6 de dezembro de 2009

    Entretenimento e Doutrinação

    Ao ver alguns documentários na televisão, passei a ficar especialmente atento ao que dizem. A questão não é nem tanto o interesse, mas o fato que a televisão tem uma tendência a nos informar enquanto nos desligamos.

    Isto mesmo, assistimos televisão normalmente em piloto automático

    E isto é até bem tranquilizador, exceto quando se trata de algo que utilizamos para tomar decisões. Em suma, ficamos um pouco mais vulneráveis a opiniões quando assistimos televisão.

    A boa notícia é que não adianta fazer doutrinação pura e simples. Isto só fará que as pessoas mudem de canal. Ou mesmo que não assistam a televisão no horário em questão (veja como fica a audiência no horário eleitoral se não acredita em mim).

    No entanto, se o programa for interessante - em suma contanto uma história que prenda os espectadores então parte da batalha de passar a idéia (informação ou doutrina) está já encaminhada.

    Então a forma de passar mensagens na televisão com sucesso tem menos a ver com racionalidade do que entretenimento. A maior chance de sucesso é exatamente misturando entretenimento com mensagem.

    E caímos no outro ponto: como passar a mensagem de modo a afetar o maior número de pessoas?

    Não é simplesmente uma história. Esta histórica precisa ressonar a fundo na pessoa. E para isto temos algumas técnicas interessantes baseadas em como as pessoas funcionam:

    1. Convite a aventura - de modo simples, apresenta-se o tema a ser doutrinado como uma aventura que o espectador pode participar e mudar o mundo com isto.
    2. Confirmação dos preconceitos - em outros palavras, confirmar tudo que a pessoa acredita, ou pelo menos um percentual suficiente para que possa "cair" no papo.
    3. Você faz parte - convencer que a pessoa sempre fez parte do movimento, pois o movimento representa o que ela pensa (ligeiramente diferente do item anterior)

    Estas armas são muito poderosas quando colocadas em um contexto de história (não histórico - mas uma narrativa consturada). É quase impossível não se envolver por ele - precisa de muito treinamento para ver de modo imparcial num caso.

    Mesmo alguns argumentos racionais são impotente quando alguém se convence do que está lhe sendo dito.

    Mais ainda quando pensa que isto vai torna-la parte de algo "maior do que si mesmo".

    Perigoso

    sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

    O que todos receiam

    em uma palavra: intervenção!

    A crise no DF pode, se levada às últimas consequências, levar a uma intervenção federal.

    Aqui cabem algumas palavras: eu acredito que o DF nunca deveria ter tido eleições para governador, deputado e o escambaú.

    Se estas eleições provaram alguma coisa é que não somos mais esclarecidos que ninguém e até mais imaturos em comparação com a maioria.

    Mas é fato. Então...

    Uma intervenção tem um custo político muito grande. Infelizmente, há possibilidades que dada a confusão este seja um preço pequeno a ser pago em vista do benefício.

    O problema é que o problema fundamental não desaparece. Os mesmos vícios podem surgir se as estruturas forem mantidas, e isto é simplesmente adiar um problema maior.

    O melhor jeito de uma democracia encontrar a maturidade é através do tempo. Naturalmente, é bem humano de todos nós querermos minimizar os desastres de percurso.

    Mas, na minha opinião, isto só tem o efeito de atrasar a evolução natural do sistema.

    Então, mesmo contra todas as vontades, o melhor é deixar a coisa correr e tentar manter o que está funcionando.

    O resto eventualmente se encaixa

    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

    Algo muito errado mesmo

    Li hoje em no twitter uma mensagem dizendo:

    ...as aulas são o que tem de pior na Universidade! Só atrapalham minha vida acadêmica, não contribuem em nada!

    Bem, isto me fez chegar a conclusão que há algo muito errado.

    Pode ser com o aluno, com o curso ou com a universidade.

    Vamos investigar esta idéia em mais profundidade. Certamente que há algo errado com a universidade, e certamente as aulas não são tudo. Mas também é certo que isto não é verdadeiro em outros cursos. Então, pode ser que a universidade seja inerentemente ruim, mas haja algumas exceções redentoras.

    O problema é que isto não se sustenta. Os cursos com maior base tecnológica necessitam de aulas (do contrário seu funcionamento é deficiente - raramente se verifica o caso contrário). Então:

    - Portanto podemos riscar da lista a conclusão que a universidade está errada.

    Vamos agora a questão do curso. No caso do aluno em questão, o curso é de ciência política. O mesmo é um dos mais antigos do país - mas isto não é garantia de absolutamente nada. O curso é reconhecido pelo MEC, mas apesar de isto ser uma informação positiva, isto na realidade não é nenhuma certeza de qualidade.

    O curso possui uma empresa junior de consultoria política, organiza colóquios e especializações. O conceito CAPES é 4.

    - É, acho que dá para riscar da lista a conclusão que o curso está errado.

    Então só sobra o aluno.

    Apenas um trabalho de eliminar as hipóteses de modo racional.

    quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

    Caloria, caloria, Joule e kilowatt-hora

    Todas estas unidades são de energia. Todas dizem mais ou menos a mesma coisa.

    Só que com proporções diferentes:
    • 1 caloria é o equivalente a 4.1868 Joules
    • 1 Caloria é o equivalente a 1000 calorias (1 kilocaloria)
    • 1 kilowatt-hora é o equivalente a 3.6 MegaJoules
    • 1 BTU é o equivalente a 1.05505585 kiloJoules (aproximadamente 1.1 kiloJoules)
    • 1 eletron-Volt é o equivalente a 0.16 attoJoules
    • 1 HP-hora é o equivalente a 2.68 MegaJoules
    • 1 Barril de Óleo é o equivalente a 6.1 GigaJoules
    • 1 Tonelada de TNT é o equivalente a 4.1 GigaJoules
    • 1 Tonelada de Carvão é o equivalente a 29.3 GigaJoules
    • 1 Litro de Ethanol é o equivalente a 23.5 MegaJoules
    • 1 Litro de Diesel é o equivalente a 38.6 MegaJoules
    • 1 Litro de gasolina de aviação é o equivalente a 33.5 MegaJoules
    • 1 Litro de gasolina comum é o equivalente a 32 MegaJoules
    Então porque a festa com as diversas unidades?

    A razão é que acredito que por vezes utilizamos diversas unidades sem saber que estamos no fundo expressando a mesma coisa.

    Um exemplo: uma pessoa gasta em média 100W. Isto quer dizer que em 24 horas teremos um gasto de 2.4 kiloWatt-hora, ou 8.64 MegaJoules, ou 2063.6 Calorias.

    Outro exemplo: um carro que faz 10 km com 1 litro, está fazendo na realidade 312.5 metros/MegaJoule.

    Outro ponto, a energia cinética necessária uma massa de 1 tonelada se deslocar a 36 km/h é de 50 kiloJoules. Já a 72 km/h esta energia é de 200 kiloJoules.

    O fato é que as vezes nos perdemos nas unidades, mesmos sem querer

    Um análise fria da situação

    Vou mais uma vez tentar usar uma bola de cristal

    Como será o desenrolar da crise no distrito federal?

    Para analisar isto temos que ter muita calma e sangue frio; e a razão é simples: as ações impulsivas raramente medem todas as consequências de uma decisão;

    Então: o que a acusação contra os membros do executivo, legislativo e judiciário causam?

    Bem, pelo fato de existirem pessoas nos três poderes, isto infelizmente pode levar a necessidade de se afastar os membros da esfera do poder. Pior ainda, como o número é razoável temos a infeliz possibilidade de ter problemas de composição para que o governo funcione de modo efetivo. Tão sério quanto o afastamento dos envolvidos é o problema que falta de representatividade pode causar.

    Além disto existe a questão do funcionamento normal dos ramos em questão. Imagino que o dia-a-dia não seja afetado, mas com certeza o processo decisório certamente foi ou será. Isto pode colocar em uma situação complicada alguns em estágio de planejamento ou em vias de implementação. Naturalmente, há sempre dois aspectos nesta história: o operacional e o político. Infelizmente, devido a forma como as coisas são realizadas aqui na terrinha, a dissociação entre os dois não é completa.

    Temos ainda uma grande lista de pessoas envolvidas, e isto traz consigo problemas logísticos e de operacionalização. As pessoas estão sendo listadas em inquérito. Mas pelo meu conhecimento a parte do trâmite judicial está ainda no início.

    Existem ainda os interesses envolvidos. O ano de 2010 é um ano eleitoral. Isto significa que o processo judicial tem ramificações no processo eleitoral do ano que se iniciará em breve. Os envolvidos irão tentar ou se livrar do processo judicial ou se refugiar na esperança que não haja barulho ao redor.

    Existem ainda acusados que são listados apenas como participação indireta, ou seja não existem indicações concretas do seu envolvimento. Estes membros irão se valer disto para tentar se livrar do processo (o vice Paulo Otávio é um destes casos). Apesar disto, como existem interesses adicionais no desenrolar talvez a coisa não seja tão simples.

    No entanto é fundamental separar o problema judicial do político. É até muito provável que alguns dos acusados, mesmo tendo sido filmados, consigam se livrar no processo judicial. No entanto, as chances disto acontecer no processo político são bem remotas.

    Por fim, existem interesses na própria população. Apesar da situação, existem diversos setores que estão francamente considerando que mesmo a conduta do atual governador não é o pior dos males em comparação com as alternativas existentes.

    Isto é bem natural, dado que o atual governo criou diversos pontos de equilíbrio com oportunidades para estes setores. Não está em julgamento o mérito ou não das oportunidades, apenas o reconhecimento da sua existência.

    Então, o que vai acontecer?

    Estamos no final do ano. Com um pouco de habilidade, este problema pode ser empurrado para 2010. Mas ele não vai sumir. Ainda assim o tempo é um aliado de algumas das pessoas sob acusação.

    Entretanto, toda demora também tem o risco da paralisia. Isto pode significar um governo trancado, incapaz de finalizar o que se propôs.

    Os interesses minoritários irão certamente utilizar esta oportunidade para aumentar a sua projeção ao máximo possível. A estratégia natural destes é sempre de tentar criar maior espaço utilizando a confusão como arma.

    Os interesses majoritários tem interesse em que várias da iniciativas do atual governo continuem, mas infelizmente para eles não há um modo correto ou fácil de proceder isto sem que mantenham o apoio e consequentemente se exponham a um possível ataque.

    A população pode sofrer devido a desarticulação criada pelo processo, mas o efeito disto é incerto pois depende de como a situação afeta o funcionamento dos ramos do governo.

    Em suma, a confusão pode ser maior ainda.

    E não podemos esquecer que a estratégia do abraço de afogado pode ainda engrossar o caldo, e muito.